quinta-feira, fevereiro 03, 2005

Choque Tecnológico

Este foi "picado" de um post de 21 de Maio de 2004 do Radicais, que por sua vez o "picara" do Doninha, cujo link não encontrei.

Para uma profilaxia de choque contra o desânimo das hostes.

Pode ser que se foda
(post emocionalmente desequilibrado; bolinha vermelha no canto superior; desaconselhado a maiores e vacinados)

Não sei quem é que o meu computador pensa que é, mas uma coisa posso garantir a todos: pode não passar de hoje, o filho da puta. Vai para dois meses que me leva três quinze dias para inicializar o caralho de uma sessão, intermediados de avisos que não consegue encontrar o “ficheiro SYSTEM.INI” e mais não sei o quê. Não consegue “encontrar”, procure melhor, olha o caralho.

“Não foi possível carregar a biblioteca de Ligação Dinâmica.” O quê, filho? Deve faltar o “msnp32.dll”, pensei eu, recordando-me de um antigo conselho da minha avó sempre que me aprestava para ir à amêijoa, há 15 anos: “Não te esqueças de levar o msnp.dll, Fernando Jorge.” Nunca me esqueci e sempre voltei da Ria Formosa vivo, ainda que sem amêijoa quase nenhuma. Desta vez a coisa fia mais fino: um quarto de hora depois de ter ligado o botão do computador, mas ainda a vinte minutos de poder ver o meu Aldaily, aparece-me, lustrosa e impecavelmente desenhada, uma caixa de diálogo informando-me, precisamente, da ausência do fatídico “msnp32.dll”.

“Insira disquete”, diz depois. Insiro-lhe, em cada uma das suas peças, qualquer dia, é um maçarico corta-chapas dos estaleiros de Gdansk, daqueles de tecnologia soviética, agora à venda por tuta e meia na Feira da Ladra de Varsóvia, e utilizados pelas máfias russas para assaltar as caixas fortes dos bancos siberianos. Desde que tenho NetCabo, então, o cabrão do computador mais parece governado por um sindicato alemão: vai não vai, mesmo gordo de mil e uma regalias, faz greve, sem aviso prévio ou outro tipo de satisfações, o que está contra a lei, como se sabe. E, last mas não o least, depois desta travessia do Pacífico em cacilheiro da Transtejo, estou muito bem, já no meu quarto de hora habitual que normalmente me leva a abrir a página do New York Times, e o paneleiro desliga-se, todo contente, com ar de quem está a cumprir bem o seu dever, e, cúmulos dos cúmulos, informando-me que faz isto para minha 'segurança'. O que ele, o computador, não sabe, é que a zelar assim pela minha 'segurança' está a contribuir para que a sua própria 'insegurança' em grau que talvez o surpreenda.

A minha vida é um batido de ovas de choco(...)"

3 comentários:

Montellano disse...

:-)

taparuere disse...

há dias assim... e outros piores. Um conselho prático muito rápido: Lidl. Poizé, surpresa das surpresas, o supermercado da bolinha amarela faz de vez em quando BRUTAIS promoções em matérias de computadores portáteis. É preciso tar mt atento porque desaparecem num "ai" mas vale a pena.

zazie disse...

doninha= http://www.acausafoimodificada.blogspot.com/

ehehhe

 
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!