quinta-feira, setembro 15, 2005

Histórias de encantar VI

Era uma vez um coelho que vivia do lado A da autoestrada. O seu único sonho, ambição suprema, atração irresistível e almejado destino era conseguir atravessar para o outro lado.
O lado B.
No entanto, abundante registo de parentes atapetando a rodovia tinha sido argumento suficiente para adianços consecutivos de uma travessia que , enquanto pulsão vital de natureza obsessiva, se tornava cada vez mais distante no tempo, que não na distância.
Até que um dia a vontade de atravessar foi maior que todos os medos, avisos, presságios e augúrios ouvidos, escutados, com atenção, da sua curta existência de roedor compulsivo. De salto curto em salto curto foi-se aproximando do rail mais perto. Olhou com atenção, sentiu a paragem das vibrações das rodas pretas e rápidas no asfalto sob as patas e ...catapum! catapum! catapum! aventurou-se até ao estreito, seco e desmesuradamente longo canteiro de rodoendros entre os rails que separavam os dois sentidos de circulação viária da autoestrada. Aguardou. Do outro lado, uma pequena manada de gado charolês pastava no sossego do tempo e das certezas bovinas. De novo o silêncio se fez sentir. Só uma muito leve vibração existia, como que se de uma distante trovoada se tratasse. De novo o coelho se aventurou na travessia. Catapum!...catapum a trovoada aproximava-se com uma celeridade inaudita. Não era uma trovoada. Era um camião TIR carregado de móveis e proveniente de Paços de Ferreira. Tarde de mais. Ao chegar à berma, junto ao rail, o impacto sentiu-se, a autoestrada ficou uma fita preta ao longe, fina e silenciosa, ar e vento morno por todo o lado e o chão verde de pasto a aproximar-se a velocidade desaconselhável. Olhos bovinos assistiram ao impacto e projecção do roedor. Após a aterrissagem, o coelho abriu os olhos, sacudiu a cabeça, olhou para cima e viu o olhar pensativo, ruminante e habitualmente absorto do touro charolês.
- Isto é que tu és uma granda besta.- disse, ruminando, o touro charolês. -
-...?!*#..!!....- respondeu o coelho.
- Foda-se pá! Então com umas orelhas desse tamanho não ouviste o cabrão do camião a aproximar-se ? -
O coelho lembrou-se daquilo da trovoada a aproximar-se, que tinha sido a seguir áquilo da primeira travessia. Olhando o touro nos olhos respondeu:
- E tu ? Com uns tomates desse tamanho já viste a parelha de cornos que tens ?

5 comentários:

Anónimo disse...

Sight reading
I read somewhere that one of the early pre-reading skills was sight reading of signs on stores and packaging.
Thanks for listening to me rant lol

Mr. Notgivingmyname

Hey, you have a great blog here! I'm definitely going to bookmark you!

I have a Sell My Note site/blog. It pretty much covers Sell My Note related stuff.

Come and check it out if you get time :-)

Anónimo disse...

Un camión TIR conducido por un motorista ecuatoriano borracho o por un motorista rumano con sueño...

Talk Talk disse...

A história está mesmo de encantar. Excelente!!!
Um abraço.

J.P. disse...

Fantástico post!
Parabéns, este blogue está cada vez melhor.

Eterna Descontente disse...

Eh Eh Eh...

 
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!