quarta-feira, junho 11, 2008

Ganhámos! (II)

Chegámos para os checos.
Nem 2,02 m de ameaças intimidaram Ricardo.
Nem a porrada que deram no Petit.
E no Deco.
E no Pepe.
Segue-se um laivo de patriotismo serôdio:
"...oh pátria sente-se a voz, dos teus igrejos egrégios avós..."
Esclarecimento após laivo:
Egrégios avós não é sinónimo de sacristãos babantes de barba branca, oh hostes republicanas.
Tem a ver com outra coisa.
Incompreensível para a geração Tássebem de polegares hiperdesenvolvidos e consumo fácil.
Essa é outra História. Entranhada nas vísceras, nos tomates, nos ovários e ADN.

4 comentários:

Anónimo disse...

egrégios?

Afonso Henriques disse...

acordo hortográfico?

Anónimo disse...

Epá Afonso, não sei como era no teu tempo mas no dicionário desta página,
igrejos não encontrei, mas encontrei egrégios e quer-me parecer que não tem nada a ver com o acordo ortográfico, com o qual também discordo uma vez que não justificam nem a sua necessidade nem a necessidade de algumas mudanças estranhas. Desculpa lá, sempre me ensinaram a não me meter com os velhotes, mas como não tenho nada para fazer... ;)
Rumo ao campeonato Europeu de Futebol!
Força Portugal!

Afonso Henriques disse...

Pronto. Já está corrigida a coisa.
Que não seja por isso... ;)
Força Portugal!

 
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!