sexta-feira, março 11, 2011

Do prec à precariedade - A evolução da espécie

Foram apenas umas escassas três e picos dezenas de anos. A precariedade é um prec mais desenvolvido, com pêlos púbicos e voz grossa e fina, às fífias, uma maturação natural de um germe aninhado no seio da República que se foi desenvolvendo alimentado pelos subsídios "de fora" e pelas sangrias desencadeadas pelas sanguessugas do regime, na forma de impostos directos, indirectos, subliminares, possíveis e imaginários. Ao contrário do que escreve Ricardo Araújo Pereira na Visão, nem que seja só por ser benfiquista. Além de que não fica bem dizer mal dos bancos depois de se ganhar dinheiro a publicitá-los. Mas como a malta é porreira, desmemoriada e gosta de rir não leva mal e até acha graça derivado ao facto. Agora outra coisa completamente na mesma linha de pensamento: a manif de dia 12 de Março, que é já amanhã .Um acontecimento que poderá descambar numa monumental cena de bernarda com o beneplácito, dirão alguns, do presidente da República, um mau aluno, porque repetente.
E tudo copiosamente noticiado nas TV nacionais com recurso a notas de rodapé de acordo com a nova norma de escrita cuidadosamente preparada e estudada por tipógrafos analfabetos e iletrados compulsivos. E viva o caralho!

1 comentário:

Nilza disse...

afxxx! que boquinha suja!!
sei que dá vontade de chamar uns palavrões bem cabeludos com esta turma, sei que não serve de consolo, e como deve saber, as coisas por aqui, em termos de orgia com o dinheiro público, não é diferente.
Todos são muuuitos bonzinhos!!

 
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!