quarta-feira, abril 13, 2005

À Bomba

Esta é a resposta, ponto por ponto, à reacção do Flávio, autor do Blog A Bomba, a um comentário meu sobre a divulgação de uma montagem em video que "cola" declarações de Fátima Lopes relativamente ao uso de peles de animais com a exibição gratuita de violência sobre animais, incluindo o acto de esfolar um animal vivo.
Quando tomei conhecimento do referido video o meu primeiro sentimento foi de repulsa pelo mesmo.
Apercebi-me, no entanto, que o seu objectivo se confundia com o ataque dirigido a uma pessoa em particular, sob a aparente denúncia de maus tratos a animais, culminando no acto horrível de esfolar um animal vivo.
Publiquei um post sobre o assunto na altura.
Passo a responder, ponto por ponto, às absurdas acusações que me são feitas no supracitado Blog.

a) É paradoxal que condenes o sofrimento dos mais fracos e ao mesmo tempo te solidarizes com aqueles que o promovem.

Não há paradoxo algum entre condenar o que é exibido no vídeo e constatar que o que se pretende é manipular a opinião pública. Segundo os especialistas, que eu não sou seguramente, é muito mais difícl esfolar um animal vivo do que fazê-lo com ele morto. Caso o caro Flávio não saiba, todas as carcaças animais que acabam em bifes, costeletas, ensopados e etc., são de animais esfolados depois de mortos. Não o vejo a insurgir-se contra a possibilidade de degustar um suculento bife ou um ensopado de borrego.

b) Dizes que o video é manipulador, mas esqueces-te que a dita Lopes não só conhece perfeitamente a realidade denunciada pelas imagens, como também a defende publicamente.

A realidade denunciada pelas imagens qual é? É a de um grupo de cabrões a maltratar animais a pedido para ilustrar uma campanha contra o uso de peles. Presumo que os sapatos que o caro Flávio calça sejam de plástico ou de alpaca. Quando não está de ténis, bem entendido. E mesmo esses, hoje em dia também os há em pele.
Concordar com o uso de peles de animais não significa concordar com o sofrimento gratuito e maus tratos atrozes infligidos aos mesmos. Mais uma vez refiro a gratuidade da violência presente na exibição de uma animal a ser esfolado vivo.

c) Falas em ataque pessoal, quando na realidade a Animal apenas criticou as declarações públicas da Lopes, que foram vertidas na Imprensa.

Se a Animal pretendesse contestar o uso de peles, e está no seu pleno direito de o fazer, não se teria ficado pela montagem tosca de declarações públicas de uma pessoa com a exibição obscena de violência gratuita. Teria sido mais abrangente. Teria apresentado argumentos sólidos.

d) E a Fátima Lopes não é uma pessoa qualquer, mas sim a maior representante da nossa indústria da vaidade e uma personalidade que defende publicamente a barbárie.

Repito, mais uma vez: concordar com o uso de peles de animais não significa concordar que seja infligido sofrimento aos mesmos. Associar o uso de peles de animais com barbárie é um tique demagógico de quem não tem argumentos. Então e os sapatos, botas, cintos e "estofos de couro" ? Não são feitos com pele de animais ?
Fátima Lopes pode ser o que bem quiser e entender que eu me estou bem cagando para isso. Eu nem a conheço, calha bem.
O facto de ser uma portuguesa de renome internacional (mulher de sucesso, portanto) não significa, no entanto, que tenha que passar a ser um alvo a abater por parte das invejazinhas provincianas que proliferam como fungos por este país afora.

e) Pelos vistos, o que te incomoda não é a existência do sofrimento, mas sim a sua denúncia pública. Ou seja, tudo estará bem desde que se esconda a porcaria debaixo do tapete.

O que me incomoda é a facilidade com que pessoas que considero inteligentes se deixam manipular tão facilmente, bastando para isso apelar ao voyeurismo endémico que existe em tanto português. O mesmo voyeurismo que empanca o trânsito nas estradas e autoestradas na perspectiva de se poder ver um pouco de sangue e sofrimento sempre que há um acidente.

f) Pretendes desacreditar a Animal quando não tens provas para tanto e invocas um acto de terceiros e com mais de duas décadas de idade.

Pelos vistos não sou o único a questionar a idoneidade da associação Animal. A frase : (...)
Concordo que a origem do controverso video e a forma da sua obtenção deveriam ser esclarecidas pela Animal: até aqui, tudo bem. (...) não é minha.
Relativamente ao acto repugnante perpetrado pela Greenpeace em 1978 que consistiu no pagamento a um caçador de focas para esfolar uma foca bébé viva e ser filmdo a fazê-lo, cuidas tu que o decorrer do tempo sobre a selvajaria é razão suficiente para que a mesma adquira foros de candura ?

g) Condenar o lucro a todo o preço e a tortura é um acto de lucidez e inteligência, que transcende as ideologia políticas. Aliás, a Animal é uma organização plural que reúne membros de todas as cores partidárias, credos e nacionalidades.

Concordo com a condenação da tortura e do lucro a todo o preço. No entanto, se a Animal é uma organização plural que reúne membros de todas as cores partidárias, como afirmas, então tem que ter cuidado redobrado na forma como dá a conhecer os seus objectivos.


8 comentários:

Flávio disse...

(Oba! Um post todo só para mim, este nosso Afonso Henriques estraga-me com mimos!!)

Pois, mas esqueces que é a própria Fátima Lopes que defende expressamente que os animais sejam esfolados VIVOS (qualquer coisa a ver, acho eu, com o brilho e qualidade das peles), o que demonstra bem o estofo moral de que é feita essa senhora.

Mais: a Animal não inventou nada neste video. Limitou-se a mostrar como as coisas realmente se passam. Se os factos são chocantes, então que se castigue quem os promove e não quem os denuncia.

E eu nunca disse que matar animais para a nossa alimentação e matá-los para fazer casacos eram equiparáveis (embora ache qua ambos sejam condenáveis): entre um e outro vai, eticamente, um mundo de distância.

Uma vénia respeitosa,

Flávio

Anónimo disse...

Pois muito bem que se condenem essas bestas que esfolam animais vivos... mas deixem lá o meu tornedó em paz:) - Nesta reencarnação ainda sou muito carnívoro. Porém só como comida koshér (termo hebraico para comida aprovada biblicamente); bom, confesso que uma carne de porco à Alentejana (que na realidade é à Algarvia), ou uma boa mariscada... agora Fátima Lopes...
Mas a dita senhora, apesar de tudo, está de acordo com a sua consciência, claro que a consciência da Fátima é que é muito distorcida... é da reencarnação.

Yochanan Hayash D'Affonseca
http://foziber.blogs.sapo.pt

Afonso Henriques disse...

1. Não vi, no referido video, nenhuma afirmação expressa de Fátima Lopes sobre as vantagens de se esfolar um animal vivo.

2. Nunca disse que a Animal tivesse inventado fosse o que fosse.

3. A criação de animais para alimentação ou utilização das suas peles implica sempre a sua morte provocada. Esse tipo de "pruridos éticos" não são mais do que tiques de hipocrisia mal disfarçada.
A adesão massiva e global ao "politicamente correcto" vai transformando a humanidade numa massa anónima, de pensamento único, manipulável e devota da ignorância e da estupidez. Vejam quanto já facturou o espertalhão do site www.savetoby.com à conta da vacuidade mental que grassa na internet.

C.S.A. disse...

«A adesão massiva e global ao "politicamente correcto" vai transformando a humanidade numa massa anónima, de pensamento único, manipulável e devota da ignorância e da estupidez. Vejam quanto já facturou o espertalhão do site www.savetoby.com à conta da vacuidade mental que grassa na internet.»
DUPLAMENTE APROVADO!
É preciso é «tê-los no sítio».

Anónimo disse...

Este seu post é brilhante! No sentido inversamente proporcional à inteligencia!
Oh senhor, pelo amor de Deus, o que está em causa é que a F.Lopes, como estilista com visibilidade, promove essa crueldade.E tanto são criminosos os produtores, como os estilistas que utilizam as peles, como também os compradores do produto final.
O Homem tem a capacidade de evoluir, e deve evoluir no sentido de cada vez menos, criar menos dor a todos os seres vivos...e o0 resto é conversa fiada...
Ele á com cada uma!
Você diz-se monarquico? Olhe que as monarquias da Europa estão muito mais evoluidas que você!Veja se faz jus à Monarquia, estando em consonancia, com os valores modernos que ela transmite...Eu até simpatizo com a Causa Monarquica, mas sendo você quem é...até começo a pensar se os monarquicos portugueses merecem ter esse epiteto...
Veja se utiliza os neurónios...que tristeza!!!

Valeria Mendez, do blog
fadista-valeria-mendez.weblog.com.pt

sofia disse...

Então, D. Afonso...? Estou de acordo consigo, quando diz que, defender o uso de peles não é, exactamente, o mesmo que defender a crueldade de maltratar animais. Por outro lado, não vejo quem defende esse uso, a utilizar pele de vaca, de porco, enfim, dos animais que, obrigatóriamente terão que morrer para nos alimentarmos. Já viu o que fazem às focas bébés? Uma coisa, é aproveitar a pele de animais mortos. Outra, completamente diferente, é matá-los, de formas indescritíveis, com esse objectivo. Não creio que tenha uma opinião muito diferente desta. Não tem, pois não? Estou-me nas tintas para o politicamente correcto. O que defendo, é ético. :)

Afonso Henriques disse...

"Concordar com o uso de peles de animais não significa concordar com o sofrimento gratuito e maus tratos atrozes infligidos aos mesmos."
A ideia é lerem primeiro, e comentar depois...

Ambientalistas da Amadora disse...

Sugiro uma visita ao blog Ambientalistas da Amadora.

http://ambientalistasdaamadora.blogspot.com/

Considerem em colocar um link para este blog.

Obrigada.

 
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!