quinta-feira, julho 21, 2005

Inércia

Tal como com os incêndios, hoje em dia estúpida e amplamente reconhecidos como fenómenos sazonais inevitáveis, o problema da falta de água (mais que previsível no início do ano) só agora merece preocupação por parte do poder instituído.
Só isso explica que os poucos, quase inexistentes, apelos à poupança de água tenham começado a surgir agora, na segunda metade do mês de Julho.
Poder instituído esse que, como é óbvio, se estende desde o Presidente da República até ao deputado mais incompetente, bronco e distraído desta III República, passando pelos diferentes Ministros de Estado bem como pelos seus colegas, os Ministros de Estando.

2 comentários:

riacho disse...

Padre Himalaia, por onde andas?

Anónimo disse...

A ausência de planificação e previsão é um fenómeno amplamente reconhecido ao povo português – dai a famosa expressão de “desenrasca” que é bastante mais difícil de traduzir que “saudade”. Este fenómeno também pode ser observado em outros países de norte de africa onde a falta de educação e conhecimento, os levam a sobreviver segundo as condições que a natureza lhes proporciona.

- El Lusitano

 
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!