quarta-feira, julho 20, 2005

Estado de choque.

Pronto. Já está.
A entrevista de Diogo Freitas do Amaral ao Diário de Notícias tirou às elites, esquerda e direita, qualquer réstea de esperança de um resto de ano calmo, sossegado e de desfecho previsível: a vitória de Cavaco Silva nas presidenciais de 2006.
Já se tinha falado nisso cá no Terreiro: aqui, aqui, também aqui e, finalmente, aqui.
Caladinhos que nem ratos, os adeptos da esquerda e da direita, desorientados ao máximo, como fufas cegas com o cio, num armazém de bacalhau, assobiam para o lado todos ao mesmo tempo assobiando assim, nas caras uns dos outros.

1 comentário:

PedroMS disse...

Da entrevista fica-se com a ideia de que o Freitas é o estratega, o ideólogo,..enfim quem manda no governo. Além disso está a tentar usar o cargo de ministro para se auto-promover e promover a sua candidatura à Presidência. Será o Sócrates um banana? A últimas notícias falam no despedimento do Ministro das finanças. Será Freitas o próximo?

 
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!