quarta-feira, julho 20, 2005

Never say never



Diogo Freitas do Amaral assume-se como putativo candidato às eleições presidenciais de 2006.
Referindo-se a Cavaco Silva sublinha que há um prolongado silêncio destinado a criar as condições, não para uma eleição democrática e pluralista, mas para um plebiscito unanimista. Afirma ainda que seria pouco habitual se deixasse o governo para se candidatar às presidenciais, mas não seria estranho.
Ora, considerando-se extremamente pouco habitual que o fundador de um partido democrata cristão viesse algum dia a ser membro de um governo socialista, é legítimo que se considere abundantemente estranho que, após uma entrevista destas, a sua candidatura a presidente da república não se torne realidade.
Em entrevista ao DN de hoje.

- Never say never.- said the bishop to the actress.
- But you just said it! Twice! - she replied.

1 comentário:

rajodoas disse...

Não creio que se confirme essa previsão.
Até porque todos quantos se têm pronunciado ao nível de programas televisivos são unanimamente desfavoráveis à eleição de Cavaco Silva e este porque foi derrotado no confronto com o actual titular Jorge Sampaio, não deverá estar disposto a sofrer uma 2ª. derrota, pois seria a sua definitiva liquidação política, daí ter algumas dúvidas se ele avançará com a candidatura uma vez que só o fará com a garantia da sua eleição e essa jamais alguém lhe poderá dar.

 
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!