segunda-feira, dezembro 12, 2005

Presidenciais 2006

Estratégia de campanha
Na sequência dos insultos e agressão no braço de que foi vítima Mário Soares em Barcelos, o staff da C.O.S. (candidatura oficial socialista) teme que o sucedido tenha sido o primeiro de futuros episódios semelhantes inseridos numa nova estratégia da candidatura de Cavaco Silva.
Ao garantir todo o respeito pelas candidaturas adversárias recusando-se peremptóriamente a responder a insultos e provocações, o staff Cavaquista terá optado por um tipo de resposta que consiste na distribuição de atrasados mentais, retardados e imbecis inimputáveis em vários pontos do país, estratégicamente colocados no trajecto da campanha soarista. A esses caberá a tarefa de insultar e provocar a caravana soarista beneficiando do estatuto de inimputabilidade que lhes é reconhecido.

Obviamente, demito-o.
Francisco Louçã afirmou que, no caso de ser eleito presidente da República, ponderará sériamente na demissão do Governo Regional da Madeira caso existam perturbações graves no funcionamento das instituições.
Ao contrário do insulto e murro no braço, Louçã preconiza o puxão de orelhas protagonizado pelo próprio presidente da República na pessoa do governador regional prevaricador.
O evento, incluindo a perseguição preliminar, o agarrar do governante e execução da punição, será transmitido ao vivo a partir do átrio do palácio de justiça de cada cidade sede de governo regional ou civil. Uma proposta da ala mais radical do Bloco sugere que esse tipo de punição seja alargado a outros orgãos dos responsáveis por outros orgãos do poder político.

Expulsão
Manuel Alegre irá anunciar em breve a expulsão do Partido Socialista.
Segundo círculos próximos do candidato poeta, as recentes declarações de Soares preconizando a sua saída do Partido Socialista deixam-lhe pouco espaço de manobra, tendo Alegre optado pela expulsão de todo o Partido de uma só vez. Os principais dirigentes socialistas ficarão provisoriamente alojados em cabines de portagem da Brisa munidos de laptops com internet sem fios.

Câmara persegue pedintes.
Como é habitual na época de Natal,o número de pedintes nas ruas, estações e avenidas da capital, com predominância de cegos, aumenta exponencialmente. Este ano, por se tratar de ano de eleições presidenciais, e satisfazendo um desejo secreto e muito antigo dos próprios lisboetas, fartos de assistir às mesmas lengalengas protagonizadas pela chusma de pedintes que diariamente infestam, ano após ano consecutivamente desde há décadas as ruas, carruagens de metro, estações ferroviárias e fluviais desta cidade , bem como os cegos que, em hordas crescentes, há anos consecutivos tocando sempre as mesmas músicas desafinadas, sem a menor preocupação em diversificar os reportórios, melhorar a qualidade das suas performances ou progredir nas carreiras, cientes da promoção automática que lhes é concedida pela indiferença do cidadão que passa, a câmara municipal decidiu perseguir os pedintes contratando para o efeito outros pedintes que irão pedir, e expôr as suas maleitas aos primeiros, em turnos ininterruptos de 24 horas.

1 comentário:

J.P. disse...

Mais um excelente texto.
Mas olha que com aquela pseudo agressão o soares subiu uns pontos nas sondagens.

 
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!