sábado, junho 27, 2009

Eleições

Nenhum partido quis as eleições em simultâneo. O PSD só fez o papel de opositor solitário para sossego de Cavaco Silva, o Presidente da República, que assim fica com a sua imagem de imparcialidade reforçada ao mesmo tempo que, democraticamente, respeita a vontade da maioria dos partidos. Assim haverá mais dinheiro para distribuir pelos do costume. Como se a semana que separa as Legislativas das Autárquicas (tirando os cinco dias de ressaca após a divulgação dos resultados das primeiras) fosse considerada mais que suficiente para esclarecer o eleitorado. Evita-se ainda a confusão dos eleitores, esses atrasados mentais que embora pratiquem a separação do lixo, o Facebook e o Twitter, nunca conseguiriam discernir em quem votar se Legislativas e Autárquicas fossem em simultâneo. Sobe igualmente a abstenção, o que até dá jeito para que se vote mais depressa e a contagem de votos se processe rapidamente. O regime agradece.

1 comentário:

J.S. Teixeira disse...

Todos eles têm razões diferentes. vejamos os resultados. Vejam o artigo relacionado com a promiscuidade entre Dinheiros público e Interesses privados no blogue O Flamingo.

 
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!