quarta-feira, maio 12, 2010

çrsi vqpigto

Muitas vezes deixei de escrever posts porque não me vinha à ideia um título para o que me apetecia escrever. Depois de ter visto o Papa esta manhã a caminho do meu local de trabalho (eu, o Papa vinha em sentido contrário) e de ter pensado o dia todo em várias coisas incluindo o desastre de o Braga não ter sido campeão no Domingo passado, descobri o método arreia. O método arreia consiste em largar, deixar cair, soltar o peso. Isso tudo aplicado à postagem em blogs significa deixar cair as mãos sobre o teclado deixando os dedos saltarem em fuga para onde lhes apetecer para não serem esmagados pelo peso dos antebraços que os perseguem na queda e, assim, obter um título a todos os ditos espontâneo, cheio de graça e, simultâneamente, perfeitamente incompreensível. Passe a irrelevância aparente do que atrás foi escrito (quem posta é que sabe)encontro-me a meio de uma semana em que três coisas extraordinárias aconteceram: a primeira foi a notícia do aumento de impostos no dia em que o Benfica ganhou o campeonato. A segunda foi a extraordinária ideia de lançar a Feira do Livro para o meio do Parque Eduardo VII no princípio de Maio para que quando as pessoas perguntassem porque-é-que-a-Missa-do Papa-em-Lisboa-não-é-no-Parque-Eduardo-VII-como-de-costume alguém lhes dissesse, com naturalidade, porque-está-lá-a-Feira-do-Livro. A terceira tem a ver com o extraordinário sentido de oportunismo político que consistiu em consagrar a república ao sagrado coração de Maria em pleno Terreiro do Paço em ano de centenário. Dessa nem o Botas se lembraria.

1 comentário:

Nilza disse...

Engraçado, a pior parte pra mim em um texto é dar um título, pensava que era só comigo que isso acontecia.
Próximo post, vou tentar o seu método, vamos ver no que vai dar.
Obrigado...

 
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!