sábado, agosto 06, 2005

Estão a queimar Portugal

Fotos : Lusa


"A evidência salta aos olhos: o país está a arder porque alguém quer que ele arda. Ou melhor, porque muita gente quer que ele arda. Há uma verdadeira indústria dos incêndios em Portugal. Há muita gente a beneficiar, directa ou indirectamente, da terra queimada."



Contra factos não há argumentos.

Só a estupidez, a teimosia e a aldrabice.


6 comentários:

Anónimo disse...

Hollywood's First Blogger
With summer winding down, it's time to take a look at some of the Hollywood blockbusters that will ... Plus, no one to come in the future will ever have the kind of hard-wired Hollywood Journalist Rolodex that Archerd still maintains.
This blogging is great fun! Lots of interesting stuff here.

mini cheesecake recipe

Anónimo disse...

"Se as autoridades não conhecem casos, muitos jornalistas deste país, sobretudo os que se especializaram na área do ambiente, podem indicar terrenos onde se registaram incêndios há poucos anos e que já estão urbanizados ou em vias de o ser, contra o que diz a lei".
Então esses jornalistas ao não divulgarem / denunciar tais situações estão ou não a ser coniventes com a situação. Se não denunciam, até poderá chegar-se ao ponto de pensar que estão à espera de algo que os cale ou, até, já tenha calado. Que alguns deles sejam venais... agora, todos?
Cabe perguntar - emtão porquê?

rajodoas disse...

Inteirissimamente de acordo. E os interessados estão todos identificados.
As empresas de combate aéreo, os madeireiros, as celuloses, as industrias de transformação de madeira, os grandes empresas de Construção Civil e Obras Públicas para edificação de urbanizações, as associações de caçadores através da constituição de reservas e por último as próprias corporações de bombeiros, obviamente excluindo deste interesse os próprios bombeiros que são quem dá o corpo ao manifesto.

Anónimo disse...

Se os ataques terroristas em Londres foram no metro em portugal são nas matas e florestas...
ESTAMOS A SER ATACADOS!

O Micróbio disse...

Ainda bem que foste buscar o exemplo espanhol, caso contrário teria de me refugiar no velho exemplo do Salazar... durante todo o período da ditadura ardeu menos mato em Portugal do que nos últimos 3 anos. E garanto-vos que na altura havia muito por onde arder!

Afonso Henriques disse...

A conivência do regime republicano com a destruição provocada pelos fogos dura há tempo demais para que os seus responsáveis máximos permaneçam acocorados no alibi da falta de meios.
Há, para além do desleixo, uma intenção furtiva de destruição, depredação e violentação próprias de um regime que nasce de uma "revolução" iniciada com um regicídio.

 
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!