sexta-feira, janeiro 23, 2009

Paradoxo ou impossibilidade técnica

É ao que se resume esta história do casamento homossexual. E isto porque um casamento pressupõe um casal o que, na definição do Priberam é:

s. m.,
pequeno povoado;
lugarejo;
granja;
herdade;
conjunto das propriedades de uma família;
conjunto de pequenas propriedades rústicas;
par composto de macho e fêmea;
marido e mulher;

Tratando-se de par composto por dois machos ou duas fêmeas será um parelhamento, na melhor das hipóteses. Que tenham os mesmos direitos no que respeita à legalização de benefício ou usufruto de heranças e que um dos membros tenha a isso pleno direito na sequência da morte do outro, tudo bem. Mas não lhe chamem casamento. Não sejam preguiçosos. A Língua Portuguesa é suficientemente rica para fornecer um termo que defina a união homossexual legalmente assistida. Quem chama orçamento suplementar a um orçamento rectificativo decerto que não encontrará dificuldades de maior em encontrá-lo.

Sem comentários:

 
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!